O que é que os meus olhos dizem

Categorias:

Quando alguém me pergunta: o que é que os teus olhos dizem…?

Eu respondo, sou mulher, esposa, mãe e profissional.
No papel de mulher procuro ser aquela que vive incessantemente cada momento, deliciando-me com os prazeres da vida, disfrutando das pessoas de quem gosto, dos lugares por onde passo, procurando ser melhor cada dia, não só como mulher mas sobretudo como pessoa.
No papel de esposa, considero-me uma esposa presente que apoia incondicionalmente o marido que tenho, nos bons e maus momentos, que vive cada centímetro do casamento.
Como mãe, sinto que estou cada dia que passa mais feliz. Ser mãe foi o melhor que a vida me podia ter proporcionado, assim compreendo o verdadeiro ciclo da vida, assim compreendo a verdadeira essência do Amor Puro, do Amor Verdadeiro, do Amor de Mãe.
Victória, é esse o nome da minha filha. A Victória ensina-me a viver todos os dias e todos os dias provoca-me a sensação que cada dia que passa é uma verdadeira vitória. É ela que me ensina a ser melhor em cada momento da minha vida.

olhos-disha-academy
No papel profissional, tenho a dizer que a vida por vezes torna-se do avesso, procuramos um caminho, e de repente tomamos outra direção, outro rumo. A minha vida ao longo dos tempos tem-se delineado por diferentes roteiros, onde sempre busco o conhecimento e o prazer, mas este rumo foi inesperado, ou talvez não! Talvez esperado pelas ligações do amor…
Talvez o facto do meu marido ser um apaixonado pelo que faz, talvez as circunstâncias da vida, tornaram-me do avesso. Ou quem sabe se a vida não tem este rumo para mim…
Só sei que, tudo aquilo que sinto ou que faço tem sempre uma razão de ser e sei que nada é por acaso. Aí talvez o avesso não seja o acaso. Sei lá..!!
Às vezes, o caminho que percorremos é inesperadamente interrompido por obstáculos que nos colocam à prova. Paramos e pensamos, fico por aqui, contorno-o e insisto no mesmo ou tomo outro rumo, o que faço agora?
Por vezes, o novo caminho que seguimos revela-se surpreendente até que ficamos paralisados e sentimos que este é o caminho certo, nem que não seja, mas vou percorrê-lo a viver uma experiência que me vai enriquecer.
É com este sentimento que procuro estar, procuro transmitir à minha filha, todos os dias da nossa vida. Sermos resilientes e não nos deixarmos acomodar pelas circunstâncias da vida, ir à luta.
Sentir-me feliz e tranquila é a busca que faço diariamente e sinto que o avesso que a vida tomou, foi o certo.
Por vezes penso, o quanto seria importante estar numa escola, a ensinar os meus alunos, não só as disciplinas que o programa curricular obriga, mas ensinar tantas outras coisas que só a vida nos ensina. O quanto eu daria para poder ajudar as crianças a construírem um mundo melhor. Ser professora era um espaço completo do meu ser, era sem dúvida a minha praia, onde os meus eram molhados pela água que me dava energia e me saciava de todos os prazeres.
O avesso trouxe-me uma oportunidade, ela também de proporcionar crianças felizes. Não é uma estrutura com normativas rigorosas de um Sistema de Ensino é sim, um espaço onde poderei avivar o meu papel de professora, mas este ligado à gastronomia, onde poderei ensinar crianças, jovens, adultos a terem certamente uma vida mais doce.
Tal como Oscar Wilde dizia “ A melhor maneira de tornar as crianças boas é torná-las felizes”.

avatar
A autora
Chef Anabela Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *